O WordPress é de facto um CMS fantástico, não fosse ele altamente flexível para os programadores e desenvolvedores de templates. Uma das vantagens desta plataforma de blogging, é que permite utilizar campos personalizados, através da inserção de dados extra, chamados de meta-data, em combinação com os tais campos personalizados, vulgarmente conhecidos como custom fields.

É por causa destes campos personalizados que por vezes surgem templates para wordpress fantásticas e todo o mundo fica de boca aberta perguntando como foi possível fazer tal coisa com o WordPress. Pois bem, estes campos personalizados possibilitam recriar no WordPress praticamente tudo, criando templates bem diferentes do que é comum no mundo dos blogs.

Caso nunca tenha reparado, no editor de conteúdos do seu blog WordPress, você deverá ter por baixo um campo chamado “Custom Fields” ou “Campos Personalizados”, que funciona de forma muito simples. Do lado esquerdo está a “Key” que você vai chamar, e do lado direito o “Value” que corresponde à acção que se vai desenrolar depois de chamar a função. Vamos ver mais à frente….

custom fields wordpress

Os campos personalizados funcionam através da “Key” (chave) e do “Value” (valor). A única coisa que ambos têm em comum, é o facto de você ter de chamar ambos no loop do seu código.

<?php the_meta(); ?>

Esta é seguramente a forma mais simples de apresentar os dados. A template tag importa todos os dados da meta-data e coloca-os numa folha de estilo CSS chamada post-meta. A “Key” é um parâmetro que será identificado como post-meta-key.

Apresentando uma lista de itens sem ordem poderia ser:

<ul class=’post-meta’>
<li><span class=’post-meta-key’>Personalidade:</span> happy</li>
<li><span class=’post-meta-key’>Metereologia:</span> fine</li>
</ul>

Você poderá interessar-se em utilizar estes dados de uma forma mais sofisticada, e fazendo uso de listas não ordenadas, que apresentem os seus dados de personalidade e metereologia, por exemplo.

Para utilizar a chamada de dados de uma forma superior e mais avançada, usamos:

get_post_meta($post_id, $key, $single);

Os parâmetros desta entrada são os seguintes:

$post_id
Este é o ID do artigo que guarda a informação contida na meta-data.
A maioria das vezes é chamado pela função $post->ID.

$key
A Key é a chave que contem o nome do campo meta value.

$single
Este campo pode tanto ser falso como verdadeiro (true/false).
Se for verdadeiro, irá resultar na chamada de um único resultado em forma de string.
Se for falso ou não for específicado, a função irá retornar uma array do campo personalizado. Este passo é importante se fizer uso de diferentes $keys com o mesmo nome.

Exemplo de utilização de um campo personalizado

campos personalizados

Imaginemos a situação em que temos um campo chave com o título “Imagem” e onde o valor é o endereço dessa mesma imagem.
Para apresentarmos essa mesma imagem, utilizariamos o seguinte código:

<?php $imagem = get_post_meta($post->ID, ‘Imagem’, true); ?>
<img src=”<?php echo $imagem; ?>” alt=”" />

As possibilidades depois são imensas e a utilização dos campos especiais irá depender das necessidades de cada um e também da sua imaginação. Faça testes! :)