Um site bem estruturado e com bom desempenho, é o desejo de qualquer desenvolvedor. Muito se busca sobre como conseguir maior rapidez ao exibir os conteúdos, imagens e vídeos no WordPress, mas poucos sabem o que realmente é necessário para tal feito. Métodos, técnicas e plugins tendem a ser aplicados, mas se você não souber do que precisa, nada vai adiantar. Hoje o WordPress permite realizar qualquer tipo de tarefa, seja ela simples ou complexa. Você pode usar recursos como os Plugins e Temas para solucionar grande parte dos seus problemas, ou então desenvolver suas próprias customizações com os Custom Post Types, por exemplo.

Vejamos como você pode ligar o Turbo em seu WordPress e aumentar a performance do seu site/blog drasticamente:

Performance com WordPress

Dê atenção ao Front-end

Se você precisa melhorar a velocidade de exibição do seu site, a primeira coisa a ser analisada é o Front-end. É aqui que todo o trabalho que você desenvolveu é mostrado. Por isso, trabalhar bem a parte da frente de seu site é o primeiro passo. Analise as imagens da estrutura e do conteúdo. Opte pelo que for mais leve.

Requisições desnecessárias ao Banco de Dados

Um dos erros mais comuns dos iniciantes no desenvolvimento de temas e plugins WordPress, é utilizar de forma demasiada as funções que fazem requisição direta ao banco. É importante saber o que cada função faz e reutilizar aquilo que já está disponível.

Geralmente, a informação que necessitamos para construir um modelo de página por exemplo, já está bem na sua frente através de um Loop de rotina. E por falta do conhecimento necessário, você requisita a mesma informação novamente. Muita atenção ao utilizar múltiplos bloginfo(). Este é um bom exemplo do uso de requisições desnecessárias e redundantes.

Evite a manipulação de consultas pesadas

Ainda falando sobre banco de dados, é importante evitar de realizar consultas pesadas ao banco de dados. O WordPress te oferece inúmeras chamadas de função. Elas que garantem praticamente todo e qualquer tipo de informação que você precisa para exibir aos seus usuários. Então, muita atenção ao empregar funções WP_Query e consultas via wpdb.

Prefira dados serializados para options e meta dados

Utilizar dados serializados e armazenados em formato de array, permite que através de uma única requisição ao banco, seja retornado diversas informações de uma única vez. Armazenar e buscar informações por meio de arrays evita que infinitas consultas sejam feitas ao banco de dados – o que acarreta em malefícios para o funcionamento do servidor.

Remova os tamanhos de imagens que não utiliza

Um ponto bastante desenvolvido e de inúmeras possibilidades, é o tratamento e manipulação de imagens dentro do WordPress. Trabalhar os tamanhos e padrões prefixados, ou não, é importante para manter um site com Front-end estável e leve. Se existem tamanhos definidos, mas que você não utiliza – não hesite em removê-los. Mantenha só o que é necessário.

De olho no uso de plugins

A facilidade no uso de plugins, é um dos grandes destaques que o WordPress nos dá. É preciso cuidado e conhecimento das necessidades ao se instalar plugins. Plugins demasiados afetam quase que instantaneamente o desempenho de um site. Se dá para resolver por código, não use plugin!

Mantenha sempre o mais simples

Regra básica no desenvolvimento de soluções digitais, preze sempre por aquilo que é mais simples. Todo desenvolvedor uma hora ou outra, tende a optar pelo mais complicado ou rebuscado. Porém, se engana aquele que pensa que para desenvolver algo de qualidade e consistência deve empregar inúmeros IF’s e infinitos For While. Mantenha um código claro e simples.

Separar back-end do front-end – processos demorados e pesados

Se você precisa utilizar funções pesadas e demoradas, organize-as de forma que rodem através do back-end. A parte mais importante sempre é a execução do Front-end. O que não quer dizer o back-end não pode ser afetado. Analisar funções e os processos, organizando-os entre back-end e front-end, podem garantir uma boa diferença de desempenho.

Otimizar a base de dados do WordPress

Esta é uma das primeiras dicas, quando qualquer um percebe que o site está mais lento, principalmente no carregamento de informações. A otimização de sua base de dados pode ser feita via plugin, mas escolha o mais simples e leve, que é não utilizar plugins desnecessariamente.

Acessando o phpMyAdmin você pode verificar que espaços inúteis podem estar contidos no banco. Bem como, revisões de post, links e comentários. Tudo aquilo que é informação desnecessária você pode remover do seu banco de dados.

Remover funções automáticas para revisões, auto save e debug

Se o status de revisão para posts, funções de auto save (salvamento automático) e o uso da função de debug não são tarefas importantes ao seu projeto, remova e desabilite tudo que não usa. Por vezes mantemos funções e tarefas que jamais usaremos no WordPress. Sendo que, livrando-se delas, a capacidade de desempenho do servidor é afetada.

Utilização de cache

Técnica muito utilizada, é a adoção de memória cache. Muito útil para sites que possuem conteúdos estáticos, o armazenamento de cache influencia diretamente na melhora do desempenho de seu site. Começar a utilizar cache pode ser por meio de plugins, ou até mesmo, explorando as funções nativas da plataforma.

Melhorar o desempenho e ligar o turbo do seu WordPress, não requer nenhum segredo. Entretanto, um olhar atento e observador para como as coisas estão se desempenhando, é algo necessário. Não esqueça:

  • Utilize plugins quando for necessário;
  • Escolha as opções mais simples. Estas costumam ser também, as mais leves;
  • Estude, conheça e identifique o que precisa melhorar. Então escolha a função certa para cada necessidade.

Abraço,
Sendy Lago